sábado, 21 de abril de 2012

em forma de soneto...


É indiferente amar?
Ou olhar para o céu,
Ou ser levado por uma corrente,
Ou comer a sopa quente,
Ou  levar com a vida em frente.

Que importa estar doente?
Que importa morrer de repente?
Que importa dar um passo em frente?
Que importa ser mordido por uma serpente?

Sem ninguém para nos amar,
Sem ninguém para cuidar,
Sem ninguém para nos tratar daquela ferida dentro do coração?

Com um amor por perto,
Com um olhar indiscreto,
Com alguém, para amar...
                                                       Francisca Lopes



Um mundo mágico

Ou podia trabalhar
Ou talvez descansar
Ou podia amar
Ou podia talvez  odiar.

Se eu fosse mágico
Se pudesse mudar o mundo
Se eu o fizesse parar de ser trágico
Se eu pudesse esconder-me no fundo...

Com nada para procurar,
Com tudo na minha mão,
Com nada para preparar.

Para quê perder?
Para quê fazer mal?
Para eu me render!
                                               Henrique Pina




Também vi o brilho no teu olhar
Também vi o gato a voar
Também vi o que tu viste a sonhar
Também te vi a imaginar…

Apenas vi o que sentes na alma
Apenas vi a cor da tua palma
Apenas vi! Tem calma!
Apenas vi…

Sobre a terra, sobre o mar
Sobre o mar, a voar
Sobre a terra a sonhar…

Sem saber o que vi, nunca vou chegar, a nenhum lugar
Sem saber o que vi, nada saberei e só ficarei
Sem saber o que vi, nunca mais vou falar, rir e sonhar.
                                                                     Marta Inocêncio
 






E se as vacas pudessem voar?
E as galinhas tivessem dentes?
E os cães pudessem voar?
E seríamos todos diferentes?

Quando isso acontecesse,
Quando o mundo então mudasse,
Quando o animal quisesse falar,
Quando o homem já não mandasse.

Com todo o mundo do avesso,
Com tudo de pernas para o ar,
Com o preto feito branco.

Até Deus se admiraria
Até nem acreditaria…
Até ficaria num pranto!..
                            Francisco Costa






Nem penses nisso
Nem penses
Nem penses naquilo
Nem sequer penses!

Como olhar para o cCaixa de texto: 2éu
Como olhar para a noite
Como olhar para a nuvem
Como olhar para a estrela.

A passar pelo museu
A passar pelo jardim
A passar pelo coliseu,

Após reduzir
Após reciclar
Após reutilizar
                             Catarina Paiva




O Sentido da Vida
 

Logo que nasceu
Logo o seu coração palpitou
Logo que cresceu
Logo o seu coração se apaixonou.

Pois envelheceu
Pois seu coração se cansou
Pois morreu
Pois seu coração parou.

Entre a vida se ergueu
Entre a vida se iluminou
Entre a vida tudo aprendeu.

Com a morte nada se esqueceu
Com a morte nada parou
Com a morte nem tudo se perdeu.
                                             Catarina Gameiro

3 comentários:

  1. Esta turma tem muitos poetas...!

    ResponderEliminar
  2. Só falta o da nutela do gonçalo! vai ficar lindo!

    Rosinha

    ResponderEliminar